quinta-feira, 25 de maio de 2017

Todos Falam em Línguas?


Agora que você entende as quatro variedades básicas de línguas, você consegue entender melhor o que Paulo estava falando em Primeira Coríntios 12:29 e 30 quando ele faz diversas perguntas. Ele começa perguntando, Porventura, são todos apóstolos? Ou, todos profetas? São todos mestres? Ou operadores de milagres? (v. 29). A resposta correta para estas perguntas é; “Claro que não”. Quem são estes “operadores de milagres” de que Paulo está falando? Eles são aqueles que operam nas obras de milagres, um dos dons do Espírito Santo que qualifica as cinco funções.

Não, nem todos são chamados para ter o dom do Espírito operando em suas vidas a ponto de qualificá- los para as cinco funções do ministério. Porém todos no Corpo de Cristo são chamados para cumprir a missão do crente encontrada em Marcos 16:16-18: falar em novas línguas, impor as mãos sobre enfermos e vê-los curados, e expelir demônios. E por vezes, de acordo com a medida da vontade do Espírito, a operação de milagres pode estar incluída!

Alguns exemplos de ministros que foram qualificados pelo Espírito para a operação de milagres nas cinco funções incluem William Branham, George Jeffreys, Maria Woodworth-Etter e Kathryn Kuhlman.Cada um destes ministros do Evangelho permaneceram numa obra ordenada por Deus que foi capacitada por uma certa mistura dos nove dons do Espírito. Então quando Paulo diz “São todos operadores de
milagres?” a resposta é não. Então no versículo 30, ele continua e pergunta: Têm todos dons de curar? [Não,é claro que não.] Falam todos em outras línguas?
Interpretam-nas todos?

Por um momento quisera eu que Paulo deixasse de fora a pergunta sobre línguas. Na verdade, muitas pessoas que não acreditam em falar em línguas nos dias de hoje usam este versículo como um argumento para o caso deles. A última vez que encontrei alguém que fez isto foi em um casamento. Sem ter a intenção, eu acabei me desentendendo com uma avó colérica. Ela veio bem na minha frente e perguntou, “Qual é a sua denominação?”.

Ela estava interessada porque eu era o ministro que estava casando o neto dela. Mencionei os nomes de alguns pregadores famosos na época, pensando que talvez ela os reconheceria. Contudo, ela não tinha ouvido falar de nenhum deles. Então perguntei se ela conhecia as Assembléias de Deus. Ela disse, “Ah, sim, aquela gente carismática. Você é daqueles. Bom, você tem o seu lugar”. Eu perguntei, “O que a senhora quer dizer com isso?”. Ela explicou que tinha aprendido tudo isto pela sua
formação da igreja. Ela tinha aprendido que, de acordo com Primeira Coríntios 12:28 e 29, Deus estabeleceu uns no Corpo como apóstolos, outros como profetas ou mestres, mas que nem todos são chamados para toda obra.

Aí ela foi para Coríntios 12:30: Têm todos dons de curar? Falam todos em outras línguas? Interpretam todos? Eu perguntei a ela, “Bom, falam todos em outras línguas?”. Ela respondeu, “Não, isto está listado bem aqui com todas as outras obras. Ninguém tem a obrigação de falar em línguas”. Aquilo era o seu entendimento que todos somos chamados para nosso lugar único e especial na parte do Corpo no qual nos sentimos confortáveis. Eu disse, “Não senhora, somos todos chamados para o mesmo Corpo. Foram os homens que trouxeram as divisões”. “Está bom então”, ela replicou, “por que diz então, ‘Falam todos em outras línguas?’

Paulo não teria feito esta pergunta se todos tivessem que falar em línguas!” Devo admitir que não tive resposta para aquela vovozinha naquela hora. E como eu disse, teria sido melhor se Paulo tivesse deixado de fora do versículo aquela pergunta. Mas ele não deixou, então acabei tendo que lidar com isso.

Finalmente notei a próxima pergunta que Paulo faz no versículo 30: “Interpretam-nas todos?”, e me dei conta que ele estava falando da segunda variedade de línguas, línguas para interpretação. Ele não estava se referindo ao dom de línguas para nossa edificação
pessoal. Então Paulo está perguntando, “Todos operam em línguas e interpretam em uma assembléia pública?”. A resposta é um não definitivo. Nem todos são chamados
para operar naquela variedade de línguas. Mas todos são chamados por Deus para falar em línguas para edificação pessoal, a qual é a variedade número um das línguas.

Pr. Dave Roberson

Aqueles que obedecem a Mim e ouvem a Minha voz são aqueles que Eu levarei de glória em glória. Mas lembre-se, seu tempo não é medido damaneira que Eu o meço, porque o Meu é eterno. Esperarei quanto for necessário, mas seu tempo será colocado dentro de um breve espaço de tempo de homens e mulheres. Algumas vezes houve aqueles que passaram suas vidas em oração e outros que ceifaram do seu trabalho. Mas à medida que você deseja ver Minha glória, mesmo durante o breve tempo de sua vida, Eu moverei desta maneira. A intensidade de Me buscar é como você Me libera.
(Espírito Santo)

domingo, 21 de maio de 2017

Atingindo a Unidade da Fé


O diabo tem tentado confundir extremamente a Igreja a respeito do assunto das línguas. Ele quer que fiquemos tão desanimados que simplesmente desistamos de usar esse dom divino. No entanto, das três categorias de dons concedidos aos homens, Deus designou toda uma categoria para uma única operação: as variedades de línguas!

Essa operação possui a terceira categoria necessária para levar o Corpo de Cristo à unidade da fé. (Pense nisso na próxima vez que alguém lhe disser que não é bom orar em línguas ou que você não pode orar muito em línguas!). Portanto, cabe a nós encontrar em Sua Palavra qual o papel importante que esta operação desempenha em nossas vidas.

A verdade é que, se tudo o que preenchêssemos no Corpo de Cristo fosse a oitava operação das variedades de línguas, ainda assim seríamos um dom para o Corpo de Cristo, para a edificação dos santos. Mas, qualquer que seja a outra operação a que somos chamados por Deus para preencher, temos acesso a esta terceira categoria e à edificação que ela provê quando oramos no Espírito Santo.

Entretanto, apesar da importância que Deus dá a variedades de línguas, muitos no Corpo de Cristo querem desvalorizá-la e até mesmo excluí-la. Mas se a categoria que Jesus deu para a edificação dos santos for excluída, então, como vamos chegar à unidade da fé?

É necessário que todas as três categorias de dons preencham todos os três propósitos listados em Efésios 4:12 para que o Corpo de Cristo chegue no lugar de unidade que Deus planejou. A partir do momento que “cada medida do dom de Cristo” preencher seu chamado, o Corpo de Cristo começará a se levantar...à medida da estatura da plenitude de Cristo (Ef. 4:13).

Por que tudo isso é necessário? Efésios 4:14 e 15 nos diz:

Para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para o outro e levados ao redor por todo o vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro; Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.

Não é interessante que precisemos destes dons que Jesus concedeu aos homens? Nós precisamos deles para que não sejamos enganados pela astúcia fraudulenta dos homens.

Nós também precisamos deles para que possamos ser purificados de toda a mentira e para que comecemos a falar a verdade. Quando falamos a verdade em pureza de espírito e não estamos sendo mais enganados, podemos então começar o processo de qualificação para o nosso chamado – a capacitação dos dons espirituais.

Continue orando, diz o Espírito da Graça, e entrando em Mim, E Eu darei coisas a você.
Isto fará com que você e seus amados sejam libertos. Apenas Me libere, diz o Senhor,
E logo você verá que quando Eu movo no Meu poder, Eu posso libertar as pessoas. (Espirito Santo)

Pr. Dave Roberson

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Ele Deu Dons a Todos os Homens


Então voltemos para Efésios 4 para darmos uma olhada mais de perto ao desígnio de Deus para o funcionamento do Corpo de Cristo. Isto nos ajudará a entender o papel da variedade de línguas no governo de Deus.

(Aquele [Jesus] que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.) E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, Com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade à medida da estatura da plenitude de Cristo. – Efésios 4:10-13

Na década de oitenta, eu recebi muitos ensinamentos a respeito desta passagem da Bíblia. Foi assim que fui ensinado: Jesus subiu às alturas e deu cinco funções de ministério como um dom para a Igreja. Para que propósito? Para o aperfeiçoamento dos santos para que todo e qualquer crente possa fazer o trabalho do ministério, que então traz a edificação para o Corpo de Cristo. Esta interpretação soa familiar? Bem, vou lhe dizer o que este ensinamento fez para nós ministros: Em quase todos os lugares onde fomos ministrar, as congregações nos tratavam como se fôssemos o Presidente dos Estados Unidos!

Eu tenho que admitir que eu não me importava em ser tratado com tanta glória, principalmente nos meus primeiros anos mais carnais. Eu gostava daquela empolgação toda! Nas conferências, nós ministros éramos apresentados mais ou menos assim: “Jesus subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens. E agora vamos receber um destes dons para o Corpo de Cristo – o evangelista e mestre Dave Roberson!”.

Em algum lugar bem dentro de mim, um pensamento se escondia que eu nem sequer ousava mencionar para mim mesmo: Oh, seus pobres tolos. Eu fui escolhido como um dom especial para vocês, para o seu amadurecimento e para que vocês possam fazer o trabalho do ministério para a edificação do Corpo de Cristo. Mas a única razão pela qual vocês estão sendo edificados e amadurecidos é pelo grande dom que reside no meu interior. Comecei a pensar que eu era algo especial. (Graças sejam dadas a Deus, por Ele ter me curado deste comportamento nocivo!).

Eu sempre conseguia perceber quais igrejas haviam recebido o ensinamento governamental sobre “os dons do Corpo de Cristo”, porque eu sempre era tratado com muito respeito nessas igrejas. Por exemplo, eu tinha uma Mercedes pronta para me transportar e um homem no quarto ao lado sempre a minha disposição caso eu tivesse algum desejo às duas da manhã por um sorvete! Eu estaria mentindo para você se dissesse que não gostava daquele tipo de tratamento. Mas alguns de nós ministros começamos a esperar aquele tipo de tratamento especial como um direito dado por Deus.

Se tudo no quarto do hotel não estivesse perfeito, era motivo de reclamação. “Onde está a minha ‘super’ cesta de frutas? Onde está o homem que deve ficar no quarto ao lado, esperando para me levar ao culto?”. Eu me recordo de me sentir insultado se o anfitrião da igreja não tivesse um carro estacionado na frente me esperando depois que o culto acabasse, para que eu pudesse imediatamente entrar nele! Minha mulher foi a primeira que realmente reconheceu o meu comportamento errado. Estávamos ministrando em uma grande conferência em Omaha, Nebraska, com vários ministros de grande nome.

Eu era “o menor de todos”, então me deram os cultos da tarde – quando a maioria das pessoas quer comer ou tirar uma soneca entre os cultos. Mas eu não me importava, embora a maioria dos ministros convidados nunca participasse dos meus cultos. Então, Deus começou a se mover poderosamente naqueles cultos da tarde. O homem encarregado veio até mim e disse, “Nós gostaríamos que você recebesse as ofertas de cada culto”. Daquele momento em diante, em todos os cultos, eu ensinava um pouco sobre a Palavra e recebia a oferta. Mas o ministro escalado para
pregar nunca vinha ao culto até que a oferta fosse feita.

Isso começou a me incomodar. Uma noite, Rosalie e eu estávamos no elevador e
alguém que estava participando da conferência me disse em meio a outras pessoas, “Puxa, os outros ministros deveriam ouvir você ensinar!”. Eu respondi amargamente, “É, se eles ficassem lá por mais tempo, ouviriam”. Minha mulher percebeu meu orgulho por trás daquela resposta e me repreendeu mais tarde.

Mas, veja, o ensinamento que eu estava recebendo sobre o governo de Deus não estava contribuindo com o meu comportamento. Todas as vezes que eu ouvia Efésios 4 ensinado daquela maneira, eu ficava cheio de mim mesmo, tornando-me mais convencido por ser um dom especial para o Corpo. Graças a Deus, se continuarmos a orar no Espírito

Santo e a falar os mistérios para o Pai, Ele nos corrigirá! Demorou para que Deus tomasse as rédeas por causa do meu comportamento orgulhoso e errado. Ele revelou ao meu espírito o papel que as outras operações – inclusive as variedades de línguas – desempenham em Seu governo. Eu fiquei muito chocado quando entendi o que Ele estava dizendo. Eu disse, “Oh, Senhor, Você não estava exaltando nem um pouco a nós,
ministros!”.

Veja, é bom dar honra onde a honra é devida e mostrar respeito a um ministro do Evangelho. Mas se você pensa que o chamado dele é mais honroso que o seu, pense novamente. Deus não faz acepção de pessoas. Você também é um dom precioso para o Corpo de Cristo! Qualquer que seja o seu chamado ou função, ele é tão importante quanto o chamado de um ministro aos olhos de Deus. Você deve ser tratado com o mesmo respeito que qualquer outro ministro.

Então, o que Paulo está dizendo em Efésios 4:10-12? Bem, para entender, você precisa olhar em Primeira Coríntios 12:27 e 28, onde Paulo diz algo muito parecido. Primeiro ele diz, Ora vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo. Compare isso com Efésios 4:7: E a graça foi concedida a CADA UM DE NÓS segundo a proporção do dom de Cristo.

No contexto, Paulo estava, em Primeira Coríntios 12:27, referindo-se ao Corpo todo de Cristo. No versículo 28, Paulo diz, A uns estabeleceu Deus na igreja... e lista todas as oito operações de Deus. Assim como em Efésios 4:11, ele começa com os cinco ministérios. Então ele lista socorros, governos e variedades de línguas. Veja, quando Jesus subiu às alturas, Ele apresentou Seu sangue derramado ao Pai para a redenção da humanidade, sentou-se à direita do Pai e disse, “Está consumado”. Então, Ele começou a encher tudo em todos – todo o Corpo de Cristo – com Seus dons.

Pr. Dave Roberson 

domingo, 14 de maio de 2017

O Milagre das Línguas No Batismo do Espírito Santo



Na realidade, o diabo faz tudo o que pode para impedir que as pessoas recebam o batismo do Espírito Santo com a prova de falar em línguas. Por exemplo, muitas vezes eu ministro a pessoas que já foram em outras centenas de linhas de oração procurando ser cheias com o Espírito Santo, mas que sempre foram decepcionadas. Elas respondem quando eu as chamo no altar e como muitos outros ministros antes de mim, eu oro por elas. Suas bocas se movem, mas elas não fazem nenhum som.

Eu as encorajo dizendo, “Por que vocês simplesmente não falam o que os seus lábios já estão balbuciando?”. A maioria dos que seguem a minha sugestão imediatamente começa a falar em línguas. Por que é assim? Porque no momento que a Pessoa do Espírito Santo enche um crente, a primeira coisa que Ele faz é começar a criar a linguagem sobrenatural das línguas no interior do seu espírito para a sua edificação pessoal.

Na minha própria experiência, a primeira prova de que eu havia sido batizado no Espírito Santo foi o que Isaías 28:11 chamou de “lábios gaguejantes”: Pelo que por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o SENHOR a este povo.

Uma noite quando eu fui para o altar para ser cheio com o Espírito Santo, algo veio sobre mim. De repente, meu queixo, boca e língua começaram a se mover. Minha
boca parecia estar fora de controle. Eu pensei, O que há com a minha boca? Eu não
sabia que no momento em que eu disse, “encha-me com o Espírito Santo”, o Espírito Santo havia começado a criar Suas palavras sobrenaturais no meu espírito. Então as palavras saíram dos meus lábios gaguejantes porque eu estava com medo de dizê-las em voz alta.

Eu tinha certeza que seria só eu falando. Eu não percebi que a minha boca estava, na verdade, formando uma linguagem sobrenatural do Espírito Santo. Mais tarde quando eu estava adorando a Deus em casa, o Espírito Santo veio sobre mim de novo. Minha
boca começou a se mover da mesma maneira que havia se movido naquela noite na igreja. No entanto, eu já havia aprendido sobre Atos 2:4, que diz, Todos ficaram cheios do Espírito Santo e PASSARAM A FALAR em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem. Então desta vez, ao invés de lutar contra a necessidade de falar em voz alta aquelas palavras, eu me entreguei ao Espírito Santo e comecei a falar em línguas. E quanto mais eu me entregava, mais os “rios de água viva” do Espírito Santo jorravam de mim.

Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.
(Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem;
pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado.) – João 7:38, 39

Não demorou muito para eu começar a falar uma linguagem de oração inteira através do poder do Espírito Santo.

Pr. Dave Roberson

quinta-feira, 11 de maio de 2017

A Natureza Única Da Variedade de Línguas


Existe somente uma operação que nós podemos cumprir imediatamente a partir do momento que
nascemos de novo: a oitava operação – variedade de línguas. No momento em que nós recebemos a Jesus como Salvador, podemos também receber o batismo do Espírito Santo e começar a falar em outras línguas, as quais começam a nos qualificar espiritualmente para toda e qualquer outra operação à qual venhamos a ser chamados.

Uma pessoa não pode se tornar um apóstolo ou um profeta cinco minutos após ter nascido de novo, mesmo se aquele for o seu chamado. Ela primeiro deve se tornar qualificada, treinada, preparada e amadurecida pelo Espírito Santo antes que Deus a separe para a função a que ela é chamada.
Isto é verdade com quaisquer das outras sete operações listadas em Primeira Coríntios 12:28. Nem
todos são qualificados para ensinar a Palavra de Deus. Você pode distinguir pelas pessoas que cochilam sem intenção enquanto alguns ministros ensinam! Uma pessoa não pode entrar imediatamente na totalidade do ministério exercendo operações de milagres ou dons de curar.

Em cada uma das outras sete operações, incluindo socorros e governos, uma pessoa deve primeiro ser fiel e ser equipada pelo Espírito Santo antes que possa cumprir a operação para qual é chamada.
Por outro lado, uma pessoa pode mover-se na oitava operação instantaneamente ao seu renascer.
Suponha que uma pessoa responda a um chamado do altar e diga, “Eu recebi Jesus como Salvador”, então alguém se levanta e diz, “Você simplesmente recebeu a natureza de Deus. Agora você precisa ser cheio do Espírito Santo”. Ela pergunta, “O que você está falando?”.

Ela entende que porque seu espírito acabou de se tornar o receptor de uma nova natureza, ela agora é capaz de receber o batismo do Espírito Santo. Então, diz, “Sim, eu gostaria de ser cheio do Espírito Santo”.“Então receba o Espírito Santo, a promessa do Pai”. De repente, o queixo da pessoa começa a tremer. “Fale”, ela é instruída. Sua boca começa a formar palavras e logo ela está falando em línguas. Ela fica por dias radiante, falando em sua nova linguagem com grande felicidade. Por que Deus fez assim? Por que as línguas estão disponíveis para nós instantaneamente após o nosso renascer? Porque orar em línguas tem tudo a ver com sermos preparados e qualificados para o nosso chamado específico, e à medida que oramos em línguas, o Espírito Santo é capaz de edificar em nosso coração o entendimento da vontade de Deus em nossas vidas.

Algumas vezes as pessoas confundem o batismo do Espírito Santo com o novo nascimento. Entretanto, existe uma grande diferença entre nascer de novo e receber o domínio total da Presença do Espírito Santo. O Espírito Santo é uma Pessoa exatamente como cada um de nós é. Quando nós nascemos de novo, O recebemos pelo processo criativo através da nova criação. Mas não O recebemos em Sua totalidade até sermos batizados no Espírito Santo. Agora Ele vive em nós,
auxiliando-nos na oração, capacitando nossas vidas e trazendo a revelação da Palavra à medida que andamos em obediência a Deus.

É da vontade de Deus que, a partir do momento em que nascemos de novo, nós levantemos nossas mãos em As Variedades de Línguas no Governo de Deus submissão e louvor para receber o batismo do Espírito Santo. Esta é exatamente a melhor maneira de ser cheio com o Espírito Santo. Mas o diabo vem tentando separar o novo nascimento do batismo no Espírito Santo através de divisões de doutrinas para que, agora, como regra, as duas experiências não aconteçam juntas.

Pr. Dave Roberson

domingo, 7 de maio de 2017

Ajuda Divina para Encontrar o Seu Lugar


Há pouco lhe fiz uma pergunta, “Onde você se encaixa?”. Onde você se encaixa no plano de redenção feito antes da fundação do mundo, escondido em um mistério no coração de Deus? Você foi chamado para ser um apóstolo, profeta, mestre, evangelista ou pastor? Você foi chamado para administrar ou produzir milhões para financiar o Evangelho?

Como eu já disse antes, todo crente, inclusive você, encaixa-se em algum lugar nas oito operações de Deus encontradas em Primeira Coríntios 12:28. Mas como você saberá onde você se encaixa? Como se privar de ser enganado pelo inimigo que tenta preencher um lugar no Corpo que você não foi chamado ou ainda não está preparado?

Esta é uma das razões porque Deus nos deu a fundamental oitava operação, variedade de línguas – para nos ajudar a descobrir Seu perfeito plano para nossas vidas. Através da sobrenatural linguagem de oração que nos foi dada e orada através de nós pelo Espírito Santo é que Deus transfere para o nosso espírito os mistérios escondidos Nele por todos os anos – Cristo em nós, a esperança da glória (Cl. 1:27). Graças a Deus pela divina assistência para encontrarmos o nosso lugar em seu grande plano!

(Pr. Dave Roberson)

Quando Eu chamo e separo você através da ordenação para uma operação na qual Eu pus você,
Meu poder qualificará você no íntimo para cumprir aquela função.

Porque Eu tornei todas as coisas possíveis para aquele que crê. Portanto, se aproxime da Minha Presença não com o seu entendimento ou com ideais, crenças e doutrinas, como os homens fariam.

Porque Eu ponho no seu interior uma unção que não pode mentir. Esta unção é verdade e o ensinará todas as coisas. Entregue-se ao Meu Espírito para os propósitos da edificação, e Eu o exaltarei;

Eu o edificarei em toda operação para qual Eu separei você, e Eu o qualificarei pelo
Meu poder.

(Espirito Santo)

quarta-feira, 3 de maio de 2017

O dom de variedade de línguas


Eu acredito que a variedade de línguas é listada por último na Bíblia porque é a operação fundamental. Na construção de um edifício, uma fundação é o alicerce que suporta o prédio desde sua base. Se a fundação for fraca, a estrutura não vai resistir ao tempo nem às tempestades climáticas que venham contra ela. Da mesma maneira, a variedade de línguas é a operação na qual as outras sete se firmam. Por que eu digo isto? Bem, pense atenciosamente: Onde está a linha divisória entre os cristãos que acreditam no poder de Deus e nos dons do Espírito e os que não acreditam? Eu posso lhe dizer exatamente onde está. A linha divisória entre aqueles que aproveitam o poder de Deus e aqueles que não aproveitam, está na oitava operação de Deus, a variedade de línguas. Você já percebeu que as pessoas que não falam em outras línguas geralmente não operam nos outros dons do Espírito, também?

Por outro lado, as pessoas que falam em outras línguas são mais aptas para operar nos dons espirituais. Quanto mais você estuda sobre isto, mais óbvio fica: falar em outras línguas é a linha divisória. Aliás, muitas igrejas que não reconhecem as línguas como uma manifestação para estes tempos têm até mesmo perdido a pregação da salvação. A variedade de línguas não é apenas a linha divisória, mas ela também é, na verdade, o nível de entrada para a operação dos dons espirituais que capacitam as várias funções e chamados no Corpo de Cristo. É o interruptor que estamos procurando para ligar a operação à qual somos chamados do âmbito natural para dentro do poder sobrenatural de Deus.

Por que isso é assim? Porque falar em outras línguas foi feito para nos equipar de dentro para fora. Afeta a parte de nós na qual toda mudança permanente vem – o espírito humano. Então, se uma pessoa recusar esta oitava operação, ela não terá o poder espiritual para cumprir qualquer uma das sete operações de Deus – pelo menos não até a profundidade que Deus quer para ela. Por exemplo, alguém pode ser chamado para uma das funções do ministério; esta pessoa pode até ser uma boa comunicadora intelectual ou oradora da Palavra de Deus. Mas é através da variedade de línguas que o poder do Espírito Santo ativa a operação que ela foi chamada para cumprir. Se ela se recusar a receber o dom de Deus de falar em outras línguas, ela está se privando espiritualmente de ser qualificada para a sua função. Veja, a medida que você ora em línguas, Deus construirá uma operação dentro de você para qualificá-lo ao que Ele o chamou a fazer.

À medida que Ele fazisso, os dons que o equipam para o seu chamado específico começarão a operar através de você. Por exemplo, se eu orar muito no Espírito Santo, Deus não vai me treinar para que eu seja experiente em carpintaria ou para que eu realize uma cirurgia cerebral em alguém. Estas profissões não são meu chamado. Ele vai me equipar com as graças e os dons do Espírito que eu preciso para cumprir o meu chamado, que é pregar o Evangelho. É por isso que o diabo tem muito medo desta oitava operação. Durante toda a história, é a operação que ele
sempre tentou ao máximo desvalorizar e tirar da igreja.

O inimigo não quer que você ore em línguas. Aliás,
quanto menos você descobrir sobre esta operação fundamental,
mais ele gosta. Ele não se importa se você brinca de ser apóstolo, profeta, evangelista ou pastor –
desde que você nunca seja qualificado para estas funções através do poder e dons do Espírito Santo.
Ele até mesmo se diverte enganando os homens para que construam organizações em massa da sua
própria cabeça, separados do chamado de Deus. Os homens se encarregam destas organizações para que possam passar regras doutrinárias sobre o que é e o que não é de Deus.

Com orgulho próprio, enganoso, eles proclamam grandes mandatos presunçosos, como “línguas não são para hoje” ou “a cura não é para todos”. O diabo é um gênio em táticas. Se ele não pode tirar as línguas de alguma parte da Igreja, então ele vai para o segundo passo do seu plano: Ele tenta fazer com que os crentes entrem num tal fanatismo a respeito das línguas e a ter cultos tão desordenados e desorganizados que o pecador acaba não querendo nada com isso.

A estratégia de Satanás é confundir o uso das línguas de tal maneira que a operação perde a sua efetividade e credibilidade aos olhos dos que foram enganados por seu uso errado. Pense sobre isto. O que nas línguas amedronta tanto o diabo? Por que ele tem trabalhado tanto para cercar esse dom com tamanha confusão?

O próprio Paulo dedicou um capítulo inteiro, Primeira Coríntios 14, para esclarecer o erro e a confusão na Igreja Primitiva a respeito deste dom. Nenhum outro dom ou operação possui um capítulo inteiro dedicado para explicar o seu uso adequado.  Eu posso lhe dizer porque o diabo está tão amedrontado: Se qualquer coisa vai nos edificar para entendermos assuntos espirituais e saciar nossa fome para conhecer Jesus em um relacionamento íntimo, é esta operação fundamental da variedade de línguas. E como nós já vimos, esta operação é a maneira sobrenatural com a qual Deus nos proveu para que possamos nos tornar espiritualmente qualificados para qualquer das outras operações que formam o Seu governo. Portanto, Satanás está com muito, muito medo das pessoas que buscam Deus incessantemente através da oração em línguas.

(Pr. Dave Roberson)