domingo, 20 de agosto de 2017

Aprendendo a Odiar Todos os Empecilhos


Então, ao invés de responder imediatamente as minhas orações fervorosas e intensas por uma unção que traria um avivamento, Deus me mandou buscar o amor ágape com a mesma intensidade e fervor. Ele me assegurou que, ao buscar o amor, também estaria buscando o seu poder de uma maneira mais excelente.Comecei a buscar o amor ágape e aprendi a odiar aquelas coisas que estavam erradas em minha vida com mais fervor do que antes. Era uma raiva divina que precedia a purificação.

Veja, quando você chega ao lugar onde odeia com intensidade aqueles erros que o impedem de um andar mais próximo com Deus, você irá finalmente tomar uma decisão. Na busca por um caminho mais excelente, eu determinei que me adaptaria ao tipo de amor ágape. Mas, os meus esforços pareciam atingir os resultados opostos. Quanto mais eu aprendia sobre o amor, mais o meu conhecimento detectava as coisas erradas que estavam em minha vida. Fiquei em estado de falta de
esperança e acreditava que eu era a criatura mais miserável, que jamais poderia andar no nível do amor ágape descrito em Primeira Coríntios 13.

Eu não entendia que o Espírito Santo estava trazendo à superfície tudo o que o diabo poderia usar
para me destruir em minha busca pelo amor ágape, a fim de me purificar. Era tudo parte de um processo que ajudava a me entregar o suficiente a Deus para me equipar completamente à função a que Ele me chamou. Eu também não sabia sobre a progressão para o poder, descrito neste mesmo capítulo, que me levaria para o amor ágape, o qual estava buscando.

Não se Aprende o Amor Ágape da Noite para o Dia.Veja, todos nós pregadores adoramos pregar sobre o capítulo 13 de Coríntios. Adoramos nos especializar no tipo de amor ágape.
O amor ágape não se comporta de maneira imprópria. Não busca seus próprios interesses, não pede recompensas ou prêmios por serviços feitos. Não é dado baseado nas reações de uma pessoa. Não se exaspera com facilidade. Não se ressente do mal. Não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo espera, tudo crê, tudo suporta. Este amor nunca falha; você o levará para o Céu com você. As línguas cessarão. As profecias cessarão. A ciência passará. Você não precisará de nenhum deles. Mas, você irá passar pela fronteira celestial e entrará na Presença de Deus com o amor ágape.

Ah, sim, nós pregadores adoramos falar sobre o amor ágape. Usamos as palavras gregas; criamos uma imagem de um cristão perfeito que não se exaspera com facilidade. Então, no dia seguinte aconselhamos alguém, “Oh, sim, você tem os seus direitos. Processe-os!”. Deus, ajude-nos! Nós nos entretemos tanto neste assunto do amor em Primeira Coríntios 13 que perdemos a seqüência do poder que nos leva até ele! Pensamos que podemos pregar sobre o amor ágape em um dia e no dia seguinte todos os que ouviram a mensagem serão perfeitos e bons uns com os outros. Eles não mais agirão de maneira errada. Não haverá mais críticas, calúnias, brigas ou desprezo.

Dizemos às pessoas, “Vocês não deveriam fazer este tipo de coisa”, e então presumimos que todos irão automaticamente parar. Por que presumimos isto? Parece que a maioria de nós pregadores nascemos ontem! Quando você começa a entender tudo o que o amor ágape engloba, você percebe que a maioria dos cristãos não anda neste tipo de amor no dia-a-dia. A maioria nunca andará. É difícil de se adaptar a este tipo de amor se você ainda tem um centímetro de carne que não foi mortificado.

Uma coisa é pregar sobre este amor ágape e dizer que uma vez que nos adaptarmos a ele, nunca
falharemos. Mas, outra coisa é entender o processo pelo qual nos adaptamos a este tipo de amor.

Este processo é o que não assimilamos. É uma progressão através da edificação das línguas que nos leva a um lugar no Espírito onde finalmente somos fortes o suficiente para nos entregar totalmente ao amor ágape.

Pr. Dave Roberson

Nenhum comentário:

Postar um comentário