domingo, 27 de agosto de 2017

A Progressão para o Amor Ágape


Como vimos em Primeira Coríntios 12:28, o governo de Deus começa com a função do poderoso apóstolo, a primeira operação, e com as variedades de línguas, a oitava e final operação de Deus. Então, em Primeira Coríntios 13:1-3, Paulo trocou a ordem. Ainda que eu fale as línguas dos homens
e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine, Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei.

E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará. Começando com a oitava operação, a das variedades de línguas, Paulo nos leva a seis fases, através da fé de mover montes e da entrega total, até o amor ágape. Pela predominância do assunto do amor ágape em Primeira Coríntios 13, perdemos a seqüência ou a progressão passo-a-passo que nos leva aos seis níveis de maturidade espiritual para finalmente nos entregar ao amor ágape.

Nesta altura, você pode estar dizendo, “Certamente eu gostaria de ver a ordem trocada da qual você está falando, irmão Roberson”. Bem, vamos pegar os três primeiros versículos de Primeira Coríntios 13, frase por frase, e desvendar o que Paulo estava realmente dizendo. Ao fazermos isso, descobriremos a progressão divina para o amor ágape.

Seis Passos para a Maturidade Espiritual Existem seis níveis distintos de maturidade espiritual listados nestes três primeiros versículos que o Espírito Santo trabalhará na vida de qualquer crente
que passar seu tempo orando no Espírito Santo. Nível Um: Vejamos novamente o versículo 1:
Ainda que EU FALE AS LÍNGUAS DOS HOMENS E DOS ANJOS, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Quando recebemos o batismo no Espírito Santo e
começamos a orar em línguas, isto automaticamente nos qualifica na maturidade espiritual do primeiro nível, o acesso ilimitado às línguas.

O termo “línguas dos homens” refere-se à capacitação sobrenatural do Espírito Santo em pregar
em qualquer língua na face da Terra da qual nós nem temos conhecimento prévio. As “línguas dos anjos” referem-se à linguagem usada no Céu. Eu acredito que a maior parte do tempo estamos falando a linguagem dos anjos quando oramos em línguas, para nos edificar e orar os mistérios do plano de Deus para nossas vidas. Este versículo não está desmerecendo as línguas em benefício do amor. Em essência ele está dizendo: Mesmo que eu seja batizado no Espírito Santo e tenha a habilidade de falar em outras línguas, não haverá efeito algum, a menos que eu comece a empregar este dom para me edificar em minha mais santíssima fé, orando no Espírito Santo e me guardando no amor de Deus (Judas20, 21).

Existem multidões de congregações de igrejas que foram batizadas no Espírito Santo e que falam em
línguas, no entanto, as pessoas estão cheias de contenda e falta de perdão. Eu, pessoalmente, já conheci pessoas, que supostamente são cheias do Espírito, destruírem uma outra pessoa rapidamente.
Então, uma pessoa pode falar em línguas, mas estas línguas não o beneficiarão a menos que ela se entregue ao trabalho de purificação do Espírito Santo que irá levá-la ao amor ágape. É impossível orar em línguas por períodos extensos e não experimentar mudanças.

Nível Dois: Então o versículo 2 diz: Ainda que eu tenha o DOM DE PROFETIZAR, e CONHEÇA TODOS OS MISTÉRIOS e TODA A CIÊNCIA; ainda que eu tenha TAMANHA FÉ, A PONTO DE
TRANSPORTAR MONTES, se não tiver amor, nada serei. De alguma maneira a oração em línguas produz em nós o segundo nível de maturidade, que é o uso do dom de profetizar. Ao orar os mistérios de Cristo em seu espírito, Deus começa a respondê-los. De repente, o Espírito Santo se concentra em um daqueles mistérios, tira-o do seu espírito e o revela ao seu intelecto para que você possa liberá-lo através da profecia.

Nível Três: Ao continuarmos a orar em línguas atingimos o terceiro nível da maturidade espiritual
através do entendimento de segredos divinos ou mistérios. Nível Quatro: A revelação destes mistérios se tornará viva e começará a operar em seu espírito, produzindo em nós o entendimento e acúmulo do conhecimento, o quarto nível da maturidade espiritual. De alguma maneira então, enquanto os mistérios de Cristo estão sendo revelados a mim – o mistério da cura, o mistério da justiça, o mistério do amor – eu começo a levantar colunas em meu espírito. Ao orar mistérios diante do Pai, Deus responde aquelas orações através de uma transferência sobrenatural de discernimento divino. Todas as vezes que o Espírito Santo me faz entender um mistério, mais um pilar daquela superestrutura é levantado.

Um pilar é levantado com a revelação da justiça, outro com a revelação da paz e outro com a revelação do amor ágape. Finalmente, todo edifício é formado através da oração dos mistérios no Espírito Santo. A combinação destes segredos divinos revelados ao meu espírito é que, com o tempo, constrói uma biblioteca inteira de conhecimento, um edifício cheio de revelação de Jesus no interior de meu espírito. E sempre que eu quiser, posso pegar um destes volumes nesta biblioteca!

Nível Cinco: Então, os mistérios são orados em colunas, mas, o edifício construído é o conhecimento. O entendimento de todos estes mistérios, que preenchem a sua biblioteca interior de conhecimento, é que produz a capacidade para a fé que move montes em seu coração, ao você ser transformado pela Palavra de Deus. Este é o quinto nível da maturidade espiritual. A combinação da oração no Espírito Santo e a meditação na Palavra de Deus é que produz o tipo de fé que move montes. Por quê? Porque a fé vem por ouvir a Palavra de Deus e o Espírito Santo é Aquele que nos dá o discernimento divino da Palavra através da linguagem sobrenatural das línguas. Neste nível, Jesus disse que nada será impossível para você!

Nível Seis: Primeira Coríntios 13:3 nos dá o sexto nível da maturidade: E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se
não tiver amor, nada disso me aproveitará. De alguma maneira a nossa oração em línguas irá
ajudar a produzir em nós a capacidade de dar com o amor ágape. Eu sempre imaginei como uma pessoa pode dar todos os seus bens para alimentar o pobre e entregar seu corpo para ser queimado, mas não possuir o tipo de amor ágape. Então, o Espírito Santo me revelou a resposta. Alguns cristãos vivem da exaltação própria, divulgando o que dão. Eles até mesmo sentem prazer em sacrifícios extremos – principalmente o tipo de sacrifício que coloca a sua humildade em público para ser admirada por homens.

Muitos já fizeram até o sacrifício de perder suas vidas por razões erradas. Eu, finalmente, comecei a entender que às vezes é muito mais difícil trabalhar pelo Evangelho, entregando toda a sua vida, do que morrer e ir ao Céu para ficar com o Senhor. O amor ágape prefere ser um sacrifício vivo a um mártir morto. Envergonho-me quando penso em todas as vezes que fiz uma oferta por causa dos desejos de minha carne. Não foi culpa do pregador. Eu é que vi o “cadillac” em minha mente e dei a ele o meu dinheiro para ter certeza de que ganharia o carro. Mas, a Bíblia diz que se eu não
der com o amor ágape, nada me aproveitará.

Contudo, quando o amor ágape se torna a base das nossas doações, Deus não nos desapontará, pois o Amor nunca falha.

Pr. Dave Roberson 

Nenhum comentário:

Postar um comentário