quinta-feira, 22 de junho de 2017

O Jejum de Quarenta Dias de Jesus


Podemos aprender muito sobre o propósito do jejum ao olharmos para o jejum de quarenta dias que Jesus fez quando encontrou Satanás no deserto e o derrotou. A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. Então, o tentador, aproximando-se lhe disse: Se és Filho de Deus, mandas que estas pedras se transformem em pães. Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. Então, o Diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; E: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhes Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus. Levou-o ainda o Diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto. Com isto, o deixou o Diabo, e eis que vieram anjos e o serviram. – Mateus 4:1-11

Ao ler esta passagem da Bíblia, eu pensei, qual foi a razão para Jesus fazer aquele jejum de quarenta dias e por que Satanás o desafiou no final? Quando discuti isto com outros a resposta que geralmente ouvia era: “O jejum reduziu Jesus para o Seu estado mais fraco de vulnerabilidade. Naquele estado de fraqueza, Jesus mostrou a supremacia do Seu poder sobre o diabo quando não se rendeu à tentação”.
Mas, na realidade, o oposto é a verdade. Jesus jejuou por quarenta dias para se preparar para o encontro com o diabo. Por quê? Porque Ele sabia que o jejum não nos enfraquece, e sim nos fortalece ao bloquear a carne. Por que Jesus foi guiado pelo Espírito para ir ao deserto e ser tentado pelo diabo? Porque Ele, como nosso Substituto, estava sendo tentado em nosso lugar.

Então, depois de vencer o diabo, Ele pode nos dar a vitória perfeita que Ele obteve por derrotar Satanás nas tentações da carne. É por isso que Jesus disse mais tarde em Lucas 10:19: Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e NADA, absolutamente, vos causará dano. Então, o jejum tem sobre a nossa carne o mesmo efeito que teve na carne de Jesus: Ele nos sustenta contra as tentações do diabo e nos ajuda a mortificar ou bloquear a carne ao impor a vitória perfeita que Jesus já nos deu.

Para que possamos entender quão perfeita e poderosa é a vitória que Jesus nos deu sobre a carne, precisamos aprender o que Jesus aguentou para obtê-la. Veja, nada pode ser declarado perfeito a menos que não possa ser melhorado. Isto significa que a vitória que Jesus nos deu sobre a carne e sobre o diabo poderia apenas ser declarada perfeita se Ele houvesse suportado os testes e maquinações mais diabólicos de Satanás. Jesus teve que se submeter ao pior que Satanás tinha – aos piores tormentos, medos, pressões, cuidados e às piores tentações de desejos e riquezas. Esta foi a
única razão pela qual Jesus foi levado ao deserto.

Ele estava em uma missão de Deus como nosso Substituto para obter, para nós, como uma parte da nossa redenção, uma perfeita vitória sobre a carne. Agora, nós podemos entrar na Presença de Deus armados com a força da graça que Ele nos deu – não por causa do que fizemos, mas, por causa daquilo que Jesus fez. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Achegue-mo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna. – Hebreus 4:15, 16

Diante do trono de Deus podemos encontrar misericórdia para nos ajudar quando precisarmos – durante as nossas tentações, testes e tribulações. Para que Jesus pudesse nos conceder este tipo de força Ele teve que encarar Satanás em três níveis: espírito, alma e corpo. Este confronto não foi carregado na identidade espiritual de Jesus, mas em Sua humanidade. É por isso que Jesus disse, “O homem (se referindo a Sua humanidade) nem só de pão viverá, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mt.4:4).

As pressões, tormentos, solidão e medo que Satanás tentou colocar em Jesus são indescritíveis. Elas só podem ser descritas quando comparadas com o horror visto no nível mais baixo de um hospício, onde os espíritos daquelas pessoas foram completamente dominados por demônios. A oposição demoníaca que Jesus enfrentou é a mesma que gera uma loucura por poder e riqueza, como a que Adolph Hitler e os nazistas possuíam, quando uma cultura tenta aniquilar completamente uma outra para ter domínio ou poder mundial.

Veja, Jesus teve que encarar o pior que Satanás tinha. Ele não podia simplesmente conseguir a vitória
sobre um demônio de baixo nível, de segunda categoria que simplesmente aflige ou atormenta. Ele não podia ao menos lidar com um príncipe das trevas ou um principado. Jesus teve que encarar o próprio Satanás! E ao fazer isto, Ele derrotou Satanás em todos os três níveis: espírito, alma e corpo!
Em primeiro lugar, Jesus derrotou Satanás no nível do corpo. Satanás O desafiou para suprir as necessidades de Seu corpo físico – mas, de acordo com os termos de Satanás: Então, o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães.
– Mateus 4:3

Satanás tentou pressionar Jesus com o pior tormento para o corpo físico: a ameaça de que as necessidades básicas para sustentar a vida não serão supridas. A tentativa falhou. Em segundo lugar, Jesus derrotou Satanás no nível da alma quando ele tentou fazer com que Jesus cometesse suicídio.
Ele levou Jesus a um pináculo do templo da Cidade Santa e começou a pressioná-Lo no âmbito emocional da alma para que Ele pulasse do pináculo, cometendo suicídio: E lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem, e:
Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. – Mateus 4:6

Jesus sabia que Deus havia ordenado aos anjos com respeito a Ele, mas, Ele não tentaria Deus se jogando do templo apenas porque o diabo havia dito. Veja, suicídio é o último ponto no estado de falta de esperança, após uma longa batalha de tormentos e medos. Neste estado, a pessoa diz para a vida, “você não tem respostas reais”. Neste sentido, este é o pior tormento da alma e Jesus derrotou Satanás nesta área. Satanás pode tentar nos atormentar no âmbito da alma de nossas emoções, mas hoje nós temos acesso a uma vitória perfeita contra o tormento da alma. Esta vitória foi nos dada por Jesus, o Príncipe da Paz e irá nos sustentar independentemente do que Satanás tente fazer.

Em terceiro lugar, Jesus derrotou Satanás no nível do espírito quando ele tentou fazer com que Jesus o adorasse. É interessante notar que quando Satanás tentou Jesus no âmbito físico ele usou comida e quando O testou no âmbito emocional da alma ele usou o suicídio. Mas, ao testá-Lo no âmbito do espírito humano, Satanás usou poder e dinheiro ao oferecer a Jesus a glória dos reinos do mundo. Isto nos mostra que Satanás tem uma estratégia para conquistar a espiritualidade de um homem. O diabo
sabe que, rapidamente, os homens trocarão seu compromisso com a adoração a Deus pela adoração a
ele, por causa do poder e riquezas, mais do que por qualquer outra coisa que ele possa oferecer.

Satanás ofereceu fazer de Jesus o Homem mais rico e mais poderoso do mundo. Tudo o que Jesus tinha que fazer era se prostrar espiritualmente a Satanás e adorá-lo. Mas, graças a Deus, Jesus derrotou Satanás. Então, Ele nos deu a força que adquiriu através de Sua vitória em todos os três níveis. De alguma maneira o jejum ajudou Jesus a se preparar para aquela tentação para que Ele pudesse, como nosso Substituto, nos dar a Sua vitória. Agora, quando jejuamos, executamos a vitória
de Jesus sobre a carne ao nos entregarmos a Deus e superarmos o diabo.

Pr. Dave Roberson

Nenhum comentário:

Postar um comentário