quinta-feira, 30 de junho de 2016

Meditação de Junho


"E os filhos de Israel fizeram assim. E José deu-lhes carros, conforme o mandado de Faraó; também lhes deu comida para o caminho." (Gn 45:21)

"Pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos dos altos céus, com bênçãos do abismo que está embaixo, com bênçãos dos seios e da madre." (Gn 49:25)

"Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar." (Ex 4:12)

"...O Senhor seja engrandecido, o qual ama a prosperidade do seu servo." (Salmos 35:27b)

"... À tarde sabereis que o Senhor vos tirou da terra do Egito," (Ex 16:6b)

"Ele se levantou da sua Santa Morada..."

"Eis que eu envio um anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho, e te leve ao lugar que te tenho preparado." (Ex 23:20)

" e sobre seus filhos, e sobre as vestes de seus filhos com ele; para que ele seja santificado, e as suas vestes, também seus filhos, e as vestes de seus filhos com ele." (Ex 29:21b)

"Jesus multiplica meus pães e peixes, e ainda me faz andar sobre as águas"

"Toma o que é teu, e vá..." (Mt 20:14)

Deus te abençoe
Gaste mais tempo com seu Abba Pai.

Leonardo Lima Ribeiro

domingo, 26 de junho de 2016

O Espirito Santo ora por nós


Em algum lugar, de alguma maneira, no grande e maravilhoso plano de Deus para a Sua criação, o seu nome apareceu. E Deus, na Sua eterna sabedoria e conselho, preparou um plano perfeito para a sua vida pessoal.
Então, o Espírito Santo fez algo maravilhoso.  Ele ouviu diligentemente todo e qualquer detalhe de sua vida enquanto o Pai planejava o seu nascimento, seu ministério, sua prosperidade e todo aspecto da sua redenção.

Na verdade, o Espírito Santo é Aquele que foi encarregado de verificar o plano de Deus para a sua vida pessoal. Ninguém pode representar este plano melhor do que Ele.  Ele estava lá. Ele ouvia Deus, o Pai, planejar todo mínimo detalhe.

E isso não é tudo. Esta terceira Pessoa da Trindade está face a face e absolutamente na mesma estatura espiritual que os outros dois membros da Trindade: O grande Jeová e O Poderoso Logos (Jesus). Mas além da sua regeneração como um filho de Deus, o Espírito Santo verdadeiramente consentiu fazer morada dentro do seu espírito e oferecer Seus serviços a você! E uma das principais razões pelas quais Ele veio foi para orar por você.

Por que Deus enviou o Espírito Santo para morar dentro de você? Para que Ele pudesse transformar você de acordo com a imagem de Seu Filho. E a fim de realizar este objetivo, o Espírito Santo trouxe Consigo Sua própria linguagem de oração, para que pudesse orar por tudo o que lhe diz respeito.

Com essa linguagem de oração, Ele se envolve diretamente com você em relacionamento único, que é independente de qualquer outra pessoa, até mesmo da sua própria mente. Quando o Espírito Santo ora por você, Ele pega o plano que ouve o Pai falar e derrama no seu espírito. A linguagem usada para expressar o plano enquanto este flui em você é a linguagem sobrenatural das línguas.

Toda vez que você der ao Espírito Santo oportunidade, Ele usará esta linguagem para orar pelo seu chamado, para orar o plano de Deus, para edificar e carregar você com Seu santo poder.  Ele Se emprestará a você à medida que sua fé permitir que Ele seja ativado dentro do seu espírito. Ele tirará você de tudo o que Jesus já o libertou e o colocará em tudo o que Jesus disse que você é Nele.

Se você quiser, você pode entrar no seu quarto e orar nesta língua sobrenatural por duas, quatro, ou até mesmo por doze horas, e Deus, o Espírito Santo, criará toda e qualquer palavra que sair de sua boca. É sua a escolha de orar, ou não. Mas toda vez que você realmente escolher orar, você sairá daquele momento de oração mais edificado em Seu plano e propósito do que se você não tivesse feito isto.

O plano de Deus para você está no Espírito, e o Espírito Santo está em você. O Espírito Santo está armado com o conhecimento de tudo o que Ele ouviu sobre o plano de redenção de Deus para você, antes da fundação da Terra.  E toda vez que Ele perscruta o seu coração, Ele faz isto com a intenção de orar este plano – a mente de Deus a seu respeito – dentro da sua vida.

(Dave Roberson) 

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Os Benefícios da Meditação na Palavra


A meditação na Palavra de Deus é uma das direções mais importantes que eu poderia lhe dar para revelar mistérios divinos através da oração no Espírito Santo. Por mais de um quarto de século eu tenho tentado orar em línguas o máximo possível no meu próprio andar com o Senhor e tenho colhido ricas recompensas. Um dos maiores benefícios que experimentei veio através da meditação na Palavra de Deus enquanto oro.

O que é meditação? É um processo de assimilar a Palavra de Deus em sua alma e espírito. Ao meditar na Palavra de Deus, o Espírito Santo pega o conselho de Deus na forma da Palavra e o reconstrói em seu espírito de tal maneira que se torna o seu discernimento, sabedoria e conselho.
A meditação não só faz com que você reconheça que a Palavra de Deus é verdade, mas também faz com que Ela seja incorporada em seu espírito. Em outras palavras, a Palavra não só se torna uma parte de você, mas por ser implantada em seu coração, você se torna parte dela!

Meditação na Palavra E Oração em Línguas

Eu dei a você algumas direções práticas sobre o que fazer se você tiver apenas três horas para passar com o Senhor. Mas, isto não nega o fato de que quanto mais você ora em línguas, mais claro e definido o canal divino se torna, através do qual Deus se comunica com você. É para o seu benefício eterno que você ora muito no Espírito Santo, edificando-se em sua fé santíssima.

Ao orar em línguas, o Mestre da sua nova natureza usa a linguagem sobrenatural que Ele trouxe do Céu para começar um processo de iluminação em seu interior. Dentro daquela linguagem não reside apenas os mistérios do plano de Deus para sua vida, mas, também o entendimento de toda Bíblia.
Portanto, o Espírito Santo vive na esperança do dia em que você se entregará à meditação da Palavra de Deus. Quando você faz isto, você também faz o ministério de iluminação Dele muito mais fácil.

Eu considero uma bênção que a minha alma fique infrutífera enquanto eu passo três ou quatro horas orando em línguas. Por quê? Porque aprendi a ocupar minha mente com a Palavra de Deus enquanto meu espírito está orando. Já se tornou automático para mim: Quando me sento para orar em línguas, pego minha Bíblia e começo a ler.

Meu treino favorito é pegar um livro como Gálatas, Efésios ou Filipenses e ler repetidas vezes enquanto oro em línguas por horas. Com freqüência me sento em uma cadeira ou deito no chão e oro por uma hora ou duas. Então, abro minha Bíblia em um lugar conveniente e começo andar pelo quarto orando.
Oro por um tempo, para o meu espírito ouvir caso o Espírito Santo diga algo através daquele canal de comunicação. Então, volto para a Bíblia e leio o livro inteiro novamente, orando em línguas.

Ainda bem que minha alma e meu espírito podem receber de Deus ao mesmo tempo. O Espírito Santo pega todo o conhecimento acumulado que eu depositei em minha mente ao ler algo na Bíblia repetidas vezes e usa-o para o processo de meditação constante. É deste lugar que se origina muitas das revelações que recebo.

(Continua...)

quarta-feira, 15 de junho de 2016

A Terceira Hora: A Oração em Línguas


Finalmente, ao entrar na terceira hora eu diria, “Bem, Pai, eu já reconciliei aquele problema com a Cruz, eu já desembainhei agressivamente a espada do Espírito, a Palavra de Deus nesta última hora e algumas coisas foram mudadas no Espírito. Obrigado porque já recebi a minha resposta.
“Mas, agora Pai, me dê licença. Vou orar os mistérios de Cristo; preciso de um pouco de edificação e de fortalecimento do meu homem espiritual”.

Então, eu passaria aquela terceira hora orando em línguas. Eu deitaria, sentaria ou caminharia, edificando-me na minha fé santíssima ao orar no Espírito Santo.
Quando você faz isto, muitas vezes você começará a se sentir tão edificado que não vai querer parar. Você dirá, “Acho que vou acrescentar mais uma hora de oração em línguas!”.

Veja, descobri algo que posso fazer durante aquela terceira hora propositalmente, só porque eu quero e que carrega uma promessa de Deus para edificar a parte de mim em que eu não posso duvidar – meu coração.
O que eu estou dizendo enquanto oro? Na maioria do tempo eu não sei porque o meu entendimento fica infrutífero. Mas, eu sei que o meu espírito está comunicando segredos divinos e mistérios perante o Pai e que eu estou me edificando na minha fé santíssima em meu homem interior ou em meu coração.

Então, se eu tivesse apenas três horas para passar com o Senhor durante a semana, é desta maneira que as usaria. Se por alguma razão eu só pudesse orar por uma hora naquela semana, eu quebraria aquela hora em três segmentos de vinte minutos para a adoração, confissão e oração em línguas. Todos estes três tipos de oração foram feitos para beneficiar você e fazer de você um receptor do trabalho consumado da Cruz.

(Continua...)

quarta-feira, 8 de junho de 2016

A Segunda Hora: Confissão da Palavra de Deus



Então, eu passaria a minha Segunda hora com o Senhor reconciliando com a Cruz o problema que estou encarando no momento. Como? Substituindo, com as palavras da minha boca, a imagem do problema que o diabo manda para o meu caminho pela imagem que está na Palavra. Esta é a minha herança e o meu direito como crente.

Ao entrar na Segunda hora, eu diria, “Pai, obrigado porque os diabos estão sujeitos a mim. Obrigado porque a doença, que é causada direta ou indiretamente pelos diabos, está sujeita a mim em Seu Nome. Obrigado porque fui liberto da pobreza e ela também está sujeita a mim em Seu Nome. Obrigado por todas estas coisas, Pai.

“Então, com licença, Pai, vou utilizar a fé e a Palavra que você me deu, pois o diabo está invadindo o meu território. Eu as usarei para combater com o poder da confissão esta invasão.
“Você disse que se eu não duvidar da Sua Palavra no meu coração e confessá-la com a minha boca, o mesmo poder incrível que operou o fenômeno mais milagroso de todos, o novo nascimento, irá também operar para remover o meu monte”.

Depois, eu passaria o resto daquela hora confessando a Palavra de Deus especificamente pelo meu problema. Eu falaria com o monte em minha vida da mesma maneira que Jesus falou com a figueira em (Marcos 11:14.)

Por exemplo, se eu estivesse lidando com o problema financeiro eu confessaria mais ou menos assim, repetidas vezes: “Pobreza, você foi reconciliada com a Cruz. O Próprio Jesus se sobrecarregou da minha pobreza através de um ato de graça. Porque Ele sendo rico por amor de mim se fez pobre para que pela Sua pobreza eu me tornasse rico. [2 Co.8:9].

“Você pode me ouvir, pobreza! Eu tenho uma aliança com Deus. Você não pode permanecer em minha vida. Você está amaldiçoada. Você vai sair da minha vida!" E, prosperidade, eu chamo você do norte, do sul, do leste e do oeste! Finanças eu ordeno que vocês aumentem!

Eu estou reivindicando os meus direitos como um crente por uma dádiva que Deus me deu – a confissão de fé na Palavra Dele!” Por toda aquela Segunda hora, é assim que eu falaria com a montanha da pobreza, amaldiçoando-a e ordenando que ela saísse da minha vida.
Eu gosto muito de atormentar o diabo, ao fazer exatamente o que descrevi. Acho que não existe nada que o faça mais triste!

No entanto, alguém pode dizer, “Adorar a Deus por uma hora faz sentido, mas confessar a mesma coisa repetidas vezes para o meu problema não é também uma forma de implorar?” Não, não é. Você implora a Deus quando pede por algo que Ele já deu, repetidas vezes, como a cura ou libertação de um vício que o tem deixado em jugo.

A confissão da Palavra de Deus usa a fé que Deus já pôs em seu coração para reivindicar o que Ele já disse a respeito  do seu problema. Uma vez que oramos a oração de fé sobre o problema, não precisamos falar para Deus sobre Ele – e sim falar para o problema sobre Deus!

(Continua...)

sábado, 4 de junho de 2016

Meditando na palavra Na Igreja Primitiva


Meditar na Palavra enquanto oro não é algo novo ou diferente para mim. Pense sobre os primeiros apóstolos. Em Atos 2, os apóstolos foram cheios do Espírito Santo no Dia de Pentecostes. Então, em Atos 6, eles passaram por um problema a respeito da administração justa da comida entre os crentes.

Os apóstolos disseram, “Não é certo que estejamos distraídos da Palavra de Deus para servir mesas. Vamos escolher alguns homens de alta estima entre vocês para fazer este trabalho, e então poderemos nos entregar continuamente para a Palavra de Deus e oração” (Atos 6:2-4).
A que parte da Palavra os apóstolos se entregaram? A todas as promessas do Antigo Testamento. Lembre-se, esta era toda a Palavra que eles tinham naquela época. Eles não podiam abrir a Bíblia e ter todo o fundamento da Igreja como você pode!

Então, os apóstolos se entregaram continuamente a todas às promessas do Antigo Testamento enquanto se entregavam ao mesmo tempo à oração. Sobre que tipo de oração os apóstolos estavam falando? Bem, qual experiência estava mais fresca em suas mentes? Eles haviam acabado de receber a promessa do Pai – o batismo no Espírito Santo com a prova de falar em línguas. Então, eles estavam orando naquela nova linguagem que o Espírito Santo havia lhes dado!

Os apóstolos oravam em línguas continuamente enquanto meditavam nas promessas do Antigo Testamento. Esta prática ajudou a estabelecer o fundamento da Igreja, porque Deus tinha condição de trazer os mistérios de Cristo. Podemos também ver o princípio da meditação na Palavra, na vida do Apóstolo Paulo, quando orava no Espírito. Lembre-se, com exceção de Jesus, Paulo recebeu mais revelação do que qualquer outro homem desde Moisés.

Já conhecemos uma de suas chaves para receber aquela revelação: Depois de ser cheio com o Espírito Santo, Paulo fez a declaração de que orava em línguas mais do que qualquer outra pessoa (1 Co. 14:18). Mas, a meditação na Palavra de Deus era outra chave importante.
Veja, Paulo disse que era um fariseu, um “hebreu de hebreus” (Fp. 3:5). Isto significa que ele começou a memorizar as Escrituras do Velho Testamento por sete horas todos os dias, começando aos três anos de idade.

Acredito que todas as Escrituras do Antigo Testamento guardadas no interior de Paulo, combinadas com sua oração em línguas (mais do que todos vós), foram cruciais para capacitar Paulo a receber tanta revelação para a fundação da Igreja. Aquela revelação uniu o Antigo Testamento ao Novo Testamento.
O que eu posso lhe assegurar é que Paulo foi o único apóstolo que entendeu minuciosamente o relacionamento entre a Lei e a nossa aliança com Deus através de Jesus Cristo – a lei do Espírito da vida: Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte (Rm.8:2).

Hoje este entendimento parece ser muito comum, mas nos dias de Paulo era desconhecido. E duas chaves que fizeram Paulo receber tal profunda revelação foram a oração em línguas e a meditação nas Escrituras do Antigo Testamento.

(Continua...)

quarta-feira, 1 de junho de 2016

A Primeira Hora: Adoração


(Dave Roberson)

Na primeira hora eu entraria na Presença de Deus em adoração, louvor e agradecimento. Eu diria, “Aqui estou eu, Pai. Eu não tenho nenhuma necessidade para apresentar, porque todas as minhas necessidades foram supridas na Cruz há dois mil anos atrás. Eu estou aqui apenas para ter comunhão com você porque Você é o Meu Pai e eu sou Seu filho. Eu subirei ao Seu Monte Santo e verei o quão alto eu posso louvá-Lo e adorá-Lo”. Meu objetivo é desenvolver um relacionamento com Deus baseado na comunhão ao invés da necessidade.

Muitas vezes os crentes entram na Presença de Deus apenas quando são instruídos na igreja ou quando precisam de alguma coisa. Mas, uma das melhores formas de adoração é entrar na Presença Dele em nossa vida pessoal para louvá-Lo e adorá-Lo como nosso Pai Celestial, simplesmente porque nosso nome está escrito no Livro da Vida.

Deus é extremamente feliz porque somos Seus filhos e porque Ele é nosso Pai. E como um Pai que ama Seus filhos, Ele quer passar tempo conosco em comunhão ao redor de Seu trono. Ele gosta quando levantamos nossas mãos santas e dizemos o quanto O amamos, em pura comunhão.

Então, como entramos na Presença de Deus? Bem, o Espírito Santo foi enviado para glorificar Jesus (João 16:14). Todo o Seu ministério é trazer você na Presença de Jesus. Então, Jesus o leva à Presença do Pai. E, os mesmos princípios que Jesus ensinou aos Seus discípulos de como entrar na Presença do Pai se aplicam ao entrarmos na Presença de Jesus.

Jesus disse, “Quando você orar, diga, Pai nosso que estás nos Céus santificado seja o vosso nome
(Mt. 6:9). A palavra “santificar” significa levantar o Seu Nome acima de tudo em nossas vidas. Significa entrar em Sua Presença com reverência e adoração. Hipoteticamente falando, estamos sempre na Presença de Deus, pois temos o Nome de Jesus e podemos lhe rogar em qualquer momento do dia.

Mas, quando temos tempo para entrarmos na Presença de Deus com protocolo, deixe-me lhe dizer, que existe uma maneira de agradá-Lo. Em primeiro lugar, existe uma maneira de me oferecer a Deus na adoração pessoal. A primeira parte de mim que devo oferecer perante Ele é a minha alma – meu intelecto, minha vontade e minhas emoções.

(Continua...)

Eu posso não ter vontade de oferecer a minha alma a Deus. Pode ser que ninguém esteja me ajudando a fazer isto. Uma banda não me segue, criando uma atmosfera para adoração. Nem sempre tenho um aparelho disponível para tocar música de adoração para mim. Mas, quando entro na Presença de Deus oferecendo minha alma, quase sempre acabo adorando-O em espírito.

Em segundo lugar, quando venho perante Ele, preciso mostrar respeito. Um embaixador mostra honra a um rei terreno ao se curvar perante ele oferecendo-lhe presentes. Quanto mais nós devemos mostrar respeito na Presença do Rei dos Reis com a oferenda de nossa alma!
Às vezes esquecemos na Presença de quem estamos entrando. Sim, Jesus é nosso melhor Amigo. Sim, Ele é nosso confidente. Mas, quando vamos até Ele com um pedido ou em adoração, Ele é o nosso Sumo Sacerdote e merece a nossa maior honra e respeito.

É por esta razão que é importante não deixarmos nossa alma se distrair para resolver algum problema quando ela deveria estar adorando o Rei dos Reis. Se queremos que a nossa alma seja abençoada pelo Rei,
então precisamos mantê-la na Presença Dele. Se não fizermos isto, estaremos desrespeitando-O totalmente.

(Continua...)